Ariel da Silva Nunes, de 27 anos, morto na noite desta segunda-feira (24), era “trabalhador” de dia e fazia “aviaozinho” nas horas vagas, segundo a Polícia.


O jovem morto em confronto na noite desta segunda-feira (24), identificado como sendo Ariel da Silva Nunes, de 27 anos, tinha uma “vida dupla” segundo a Polícia Civil. De dia ele entregava marmitas e a noite fazia alguns bicos no crime. Hoje sua carreira chegou ao fim, após resistir a uma abordagem do Esquadrão Falcão, por volta das 18h45. Ele trafegada pelo Alto Maron, em atitude suspeita. Quando os policiais o mandaram parar, Ariel começou a atirar contra eles. No pronto revide, o suspeito foi baleado. Chegou a ser socorrido, mas morreu assim que chegou ao HGVC. Com Ariel, além da arma, foram encontradas drogas. As suspeita é de que estaria fazendo “delivery” destes entorpecentes no momento da abordagem. Ariel tinha diversas passagens, incluindo tráfico e assaltos a mão armada.