BOM JESUS DA LAPA-BA: FESTA DO SÃO PEDRO: CRIANÇAS DANÇANDO FANK NO PALCO GERA POLÊMICA NAS REDES SOCIAIS



O show da Banda Lordão causou polêmica nas redes sociais, quando diversas pessoas se manifestaram contrárias, à parte do repertório da atração contratada para os festejos do São Pedro em Bom Jesus da Lapa. A crítica tomou proporções maiores, por conta da atração ter convidado crianças que estavam na Praça acompanhando o show já na madrugada de domingo para segunda-feira (03) para dançar músicas com supostos apelos sexuais.

De acordo com a opinião de uma psicologa,  cada vez mais a música assume um papel significativo no campo da maturação social da criança, tanto no aprendizado como no processo de incentivo a participação em um grupo social.  Que por meio do repertório musical a criança pode manifestar ou formar o seu ponto de vista de maturação individual, isto é, do aprendizado social por parte da criança.

Contrário a isso a música também tem a capacidade distorcer a imagem da mulher e ao mesmo tempo utilizar expressões que reforçam o estigma como objeto sexual e do corpo como valor de troca, desvalorizando a imagem, capaz de afeta diretamente o desenvolvimento da criança.

No Facebook diversos posts criticaram postura da organização do evento que permitiu a exposição de crianças

Manifestação via facebook
O Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA determina e regulamenta algumas regras referente ao assunto exposto. No artigo 71 assegura que “a criança e o adolescente têm direito a informação, cultura, lazer, esportes, diversões, espetáculos e produtos e serviços que respeitem sua condição peculiar de desenvolvimento”, ao passo que o artigo 59 prevê que “os municípios, com o apoio dos Estados e da União estimularão e facilitarão a destinação de recursos para espaços e programações culturais, esportivas e de lazer voltadas para a infância e a juventude”.

Além disso, o ECA responsabiliza o poder público pela regulamentação de espetáculos públicos, entre eles shows musicais, informando as faixas etárias de acesso a que não se recomendam, além de locais e horários inadequados para a sua realização (Art. 74).

Em Bom Jesus da Lapa existe também uma Lei Municipal, de iniciativa da vereadora Rita Ribeiro, e sancionada pelo prefeito Eures Ribeiro, no dia 15 de maio deste ano, que proíbe que a prefeitura contrate com dinheiro público “artistas que em suas músicas, coreografia, ofenda, incentive a prática de violência e exponha a mulher ao constrangimento que degrada a imagem da mulher sejam pagas com recurso público no município”.

Segundo Ana Oliveira (43), que participou da festa, “é um despeito, as crianças precisam de outro tipo de incentivo, já vivemos tanto coisa ruim que incentiva nossos filhos a seguir o que não presta. Não sou contra o Funk, sou contra a forma que estão fazendo aqui, aqui é uma festa cultural, uma festa que a gente vem pensando que vai tocar as músicas que envolve o período junino, nossa cultura. É São João, afirmou.

Eu fiquei sem entender, não acreditei quando ví tantas crianças dançando uma hora daquela (por volta de 3h da manhã), parecia que as crianças eram dançarinas da banda, não pareciam crianças. Uma vergonha. Não podemos estimular esse tipo de coisa, nossas crianças dançando em um palco se expondo como se fossem adultas dançando funk como se fosse algo normal, é o fim mesmo da nossa cultura de São João”, disse Antônio. (Notícias da Lapa)

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.