TRAFICANTES USAM BONECOS COMO AGRICULTORES PARA DESPISTAR POLÍCIA EM PLANTAÇÃO DE MACONHA NO SERTÃO DE PERNAMBUCO



A Polícia Federal (PF) apreendeu 621 quilos de maconha pronta para consumo e erradicou 556 mil pés da erva, além de plantios e mudas do entorpecente. A ação foi realizada durante a 'Operação Baraúna II', deflagrada nas cidades de Orocó, Cabrobó e Belém do São Francisco, todas no Sertão de Pernambuco. Para despistar a polícia, os traficantes usaram bonecos em meio as plantações, para que fossem confundidos com agricultores. O balanço da operação foi apresentado nesta quarta-feira (7). Ninguém foi preso.

As plantações foram localizadas após um levantamento realizado pela Polícia Federal, que acompanha o ciclo da maconha e evita que o produto seja colhido, coibindo também a secagem e a introdução do entorpecente no mercado consumidor.

Além dos 556 mil pés da planta, foram encontrados 202 plantios e 69 mudas da erva. De acordo com informações da PF, caso os pés de maconha fossem colhidos e prensados, seria possível produzir 185 toneladas da droga.

“Eles colocaram os bonecos para despistar, para tentar disfarçar e tirar a atenção das pessoas e dos policiais que estavam nas incursões nos helicópteros. Foi uma forma que encontraram de não deixar a entender de que se tratava de uma plantação de maconha. Essa foi a primeira vez que nos deparamos com esse tipo de artimanha, feita de forma audaciosa”, disse o assessor de imprensa da Polícia Federal, Gustavo Carvalho.

Segundo o chefe de comunicação da PF, Giovani Santoro, com as contantes operações policiais de erradicação de maconha no Sertão, não tem dado tempo ao traficante da região produzir a droga, o que tem levado a importação da maconha vinda do Paraguai. "Isto também demonstra o aumento das apreensões feitas pela Polícia Federal de maconha vinda do país vizinho", disse.

“É uma ação importante porque contribui para o desabastecimento dos pontos de venda de droga em nosso estado e também em outros estados do Nordeste. Isso ajuda a evitar a escalada da violência como assaltos, furtos, homicídios, corrupção policial e acertos de contas. Geralmente, essas ocorrências estão ligadas ao tráfico de droga”, destacou Giovane.

Participaram da operação 50 policiais entre federais, civis do Distrito Federal e militares do Corpo de Bombeiros de Belém do São Francisco. As equipes trabalharam com buscas terrestres, aéreas e fluviais. Foram utilizadas duas aeronaves, além de botes infláveis do Corpo de bombeiros, para ter acesso as plantações localizadas nas ilhas do Rio São Francisco. (Por Taisa Alencar, G1 Petrolina)


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.