PATROCINADORES


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

TRIO QUE MATOU JOVEM EM CAMACAN PEGOU 75 ANOS DE PRISÃO


Acusados de ter matado a jovem Ariele Santos Silva, no dia 20 de junho de 2014, foram a Júri popular no Fórum Desembargador Antonio Carlos Souto nesta quarta-feira (30). Quando foi morta, a vítima tinha 16 anos e o crime gerou grande comoção pública na Bahia. Os responsáveis, foram condenados há mais de 20 anos de reclusão cada um. Erlan de Assis Silva, foi condenado a 28 anos de prisão, Luiz Ricardo Santos Resende, a 26 e Patrícia Souza dos Santos, principal pivô da morta da vítima, pegou 24 anos de reclusão. No dia 28 de junho de 2014, Patrícia chegou ser presa, mas depois foi liberada pela Justiça. Os magistrados assim como os sete jurados fizeram um trabalho consistente garantindo assim que a justiça fosse feita diante da sociedade. O Juri foi presidido por Dr. Eros Cavalcanti, na acusação, Promotores Catharine Rodrigues Cunha e Dr. Ariomar José Figueiredo. Erlan e Luiz Ricardo, cumprem pena no presídio em Itabuna, Patrícia estava solta, mas o Ministério Público recorreu e o Tribunal de Justiça se pronunciou e determinou que ela fosse a juri popular. A defesa foi impetrada pelo advogado criminalista Josemar Dantas, que defendia a tese de inocência de seus clientes, mas foi surpreendido quando dois dos réus, ainda em plenário, anunciaram a confissão de culpa. O trio foi acusado por crime doloso, quando há a intenção de matar. Eles se utilizaram de prática criminosa consistente, homicídio qualificado pelo motivo fútil e torpe, pelo uso de meio cruel, para tirar a vida da vítima. Juntos, os três pegarão uma pena de 75 anos de reclusão em regime fechado. O Júri começou às 10:horas e terminou às 21 horas. (O Tempo Jornalismo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário