PATROCINADORES


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

RODOLFO DO ET GANHA PROCESSO MILIONÁRIO CONTRA O SBT


Desempregado há mais de um ano, doente e passando por dificuldades, o jornalista Rodolfo Carlos de Almeida está prestes a virar milionário. Ele acaba de vencer uma ação trabalhista que move contra o SBT desde 2009. O dinheiro ainda vai demorar para entrar em sua conta bancária, mas ele já sabe o que fará: "Vou investir em terra e enxada". Aos 45 anos, o ex-parceiro de Cláudio Chirinhan, o ET, vive atualmente da renda do trabalho no cultivo de hortaliças orgânicas na chácará de um amigo na Grande São Paulo. Sofrendo de depressão e com o pai doente, ele não vê a hora de receber a indenização. "A minha saúde tá ruim, tô morrendo de tristeza. Meu pai está vencendo um câncer e temos poucas condições financeiras. Estou desesperado", disse ao Notícias da TV no mês passado. O ex-repórter do Domingo Legal processa o SBT desde que deixou a emissora, após 12 anos de vínculo. A maior parte do tempo ele trabalhou como pessoa jurídica, sem carteira assinada. Em 2012, ganhou em primeira instância o direito de receber uma série de indenizações, como férias, 13º salário, Fundo de Garantia, aviso prévio e, principalmente, as diferenças decorrentes da redução de salário que sofreu, de R$ 34 mil em 2000 para R$ 5.000 em 2009. Somando tudo, são alguns milhões de reais. Em abril deste ano, a sentença foi confirmada em última instância pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho). O SBT apelou fora do prazo e teve o pedido negado. A emissora entrou com novo recurso, contra a decisão que rejeitou sua apelação. Esse recurso foi rejeitado pelos ministros do Órgão Especial do Tribunal Superior do Trabalho, por unanimidade, no último dia 7. Para o advogado de Rodolfo, Ronaldo Sposaro Júnior, a sentença agora é definitiva. "O acórdão do dia 7 diz que a matéria está dirimida, que o mérito está resolvido, que a sentença está transitado em julgado", afirma. Assim, Sposaro já pediu a execução provisória. Ou seja, entrou com um requerimento no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo, solicitando que o processo seja enviado para Osasco, onde tudo começou, para que seja calculada a indenização. O SBT discorda da interpretação e entrou com um novo recurso no TST, chamado embargos declaratórios. No documento, a emissora pede esclarecimentos do tribunal. Diz que ainda aguarda a decisão final. Isso, no entanto, não impede que a indenização seja paga ao jornalista _que prefere ser chamado de artista.

Gugu vai demitir funcionários e virar empregado da Record
As negociações de Gugu Liberato com a cúpula da Record pela renovação de contrato ainda não terminaram, mas evoluíram muito nos últimos dias. A emissora aceitou uma das principais exigências do apresentador e vai contratá-lo como artista, como faz com Xuxa Meneghel e Rodrigo Faro. Gugu deixará de ser sócio nos custos e lucros de seu programa e passará a ter um salário mensal de pelo menos R$ 1 milhão. Assim, Gugu vai demitir todos os funcionários de sua atração. Ontem (21), os profissionais foram informados de que deixarão de ser empregados da GGP, produtora de Gugu em Alphaville, Grande São Paulo. Eles serão demitidos em 28 de dezembro e recontratados em 16 de janeiro por uma outra produtora ou pela Record. Passarão a trabalhar na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. A periodicidade do programa de Gugu em 2017 ainda não está definida, mas, segundo executivos da Record, poderá ser duas vezes por semana. Continuará nas noites de quartas, já é certo, e deverá ganhar as segundas, no lugar de Xuxa, que vai para as tardes de sábado, conforme o Notícias da TV informou em primeira mão no início de outubro. É pouco provável, mas não impossível, que Gugu entre no ar diariamente, às 22h30. Setores da Record já não têm mais convicção da viabilidade do projeto de um programa diário, no horário nobre, depois que Geraldo Luis bateu o pé, ameaçou romper contrato e conseguiu ficar no domingo. Esse programa era para Geraldo Luis. Avalia-se que somente ele poderia enfrentar e vencer o Programa do Ratinho todos os dias. Se fechar com Gugu às segundas e quartas, a Record resolve o único buraco que tinha em sua grade de 2017, a vaga de Xuxa _nas terças, a emissora deverá manter reality shows e às quintas, jornalísticos. Com Gugu duas vezes por semana, os executivos da emissora conseguem viabilizar o salário que ele pede. Com a contratação de Gugu como artista, e não mais como sócio, a Record vence uma das maiores barreiras na negociação _a outra ainda é a financeira. Gugu não estava feliz com o atual modelo de parceria. No ano passado, o acordo foi bom para ambas as partes. Com três edições semanais, o apresentador chegou a lucrar R$ 2 milhões por mês. Neste ano, apenas às quartas, teve até prejuízo. (Daniel Castro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário